DEVEM OS CRISTAOS COMEMORAR O NATAL? QUE VOCE ACHA

 

TALVES SE SUPREENDA EM SABER QUE O NATAL NÃO FOI INSTITUIDO POR JESUS CRISTO, NEM FOI CELEBRADO POR ELE OU POR SEUS DICIPULOS DO PRIMEIRO SECULO. COM EFEITO, NÃO EXISTE NENHUM REGISTRO DE UMA CELEBRAÇAO DE NATAL SE NÃO 300 ANOS DEPOIS DA MORTE DE CRISTO.

 

VOCE JÁ SE FEZ A SEGUINTE PERGUNTA?

 

·        Será o Natal realmente a celebração do nascimento de Jesus Cristo?

·         Nasceu Jesus em 25 de dezembro?

·         Será que os primeiros apóstolos que foram ensinados pessoalmente por Jesus, alguma vez celebraram o nascimento do “menino” Jesus?

·         Será que eles o comemoravam no dia 25 de dezembro?

·         Ou em qualquer outro dia? Se o Natal é uma das maiores festas da cristandade, por que será que os pagãos o celebram também? Você sabe?

·        E os símbolos do natal, você conhece a origem deles? Do “Papai Noel”, da “Árvore”, das “Luzes”, das “Guirlandas”, da troca de “Presentes”?

 

Vamos então aos fatos!

 

I – O SIGNIFICADO DE “NATAL”
A palavra “Natal” - tem a ver com nascimento, ou aniversário natalício, especialmente com o dia em que geralmente se comemora o nascimento de Jesus Cristo. Este vocábulo não aparece na Bíblia, e também não foi utilizado pelos primeiros apóstolos. A “festa de Natal” não se inclui entre as festas bíblicas, e não foi instituída por Deus. Teve origem na Igreja Católica Romana a partir do século IV, e daí se expandiu ao protestantismo, e ao resto do mundo. As Enciclopédias de um modo geral contêm informações sobre a origem sob os títulos “natal” e “dia de natal”. Consulte, por exemplo: a) Enciclopédia Católica, edição inglesa; b) Enciclopédia Britânica, edição de 1946; c) Enciclopédia Americana, edição 1944. É fato que o Natal não foi observado pelos primeiros cristãos, durante os primeiros duzentos ou trezentos anos desta era.

 

II - A DATA DO NASCIMENTO DE JESUS
Com certeza, Jesus não nasceu em 25 de dezembro! Pelo exame da Palavra de Deus sabemos que Jesus não nasceu em dezembro! Lucas 2:8 diz: "Ora, havia naquela mesma região pastores que estavam no campo, e guardavam os seus rebanhos, durante as vigílias da noite.Dezembro é tempo de inverno. Costuma chover e nevar na região da Palestina ( Confira na Bíblia em Cantares de Salomão 2:11 - Esdras 10:9-13 ). Conseqüentemente, os pastores não poderiam permanecer ao ar livre nos campos durante as vigílias da noite. Naquela região, as primeiras chuvas costumam chegar nos meses de outubro e novembro. Durante o inverno os pastores recolhem e guardam as ovelhas no aprisco... Eles só permanecem guardando as ovelhas ao ar livre durante o verão! Com certeza, o nosso Senhor não nasceu em 25 de dezembro, quando nenhum rebanho estava no campo! A data exata do nascimento de Jesus é inteiramente desconhecida. O mais plausível é que tenha sido no começo do outono - provavelmente em setembro, aproximadamente seis meses depois da Páscoa. 

 

III - A ORIGEM DO 25 DE DEZEMBRO
Tem a ver com a festividade da brunária pagã (25 de dezembro), que seguia a Saturnália (17-24 de dezembro) celebrando o dia mais curto do ano e o “Novo Sol”… Essas festividades pagãs eram acompanhadas de bebedices e orgias… Pregadores cristãos do ocidente e do oriente próximo, protestaram contra a frivolidade indecorosa com que se celebrava o nascimento de Cristo, enquanto os cristãos da Mesopotâmia acusavam os irmãos ocidentais de idolatria e de culto ao Sol, por aceitarem como Cristã a festividade pagã. Com a aprovação dada por Constantino para a guarda do domingo, dia em que os pagãos adoravam o Sol, e como a influência do maniqueísmo pagão que identificava o filho de Deus como o Sol físico, proporcionou a esses pagãos do século IV, agora “convertidos” em massa ao “cristianismo” o pretexto necessário para chamar a festa de 25 de dezembro (dia do nascimento do deus-Sol) de dia do nascimento do filho de Deus, assim foi que “o Natal” se enraizou no mundo ocidental! O Natal é, portanto, a mesma velha festividade pagã de adoração ao Sol. A única coisa que mudou foi o nome.

 

V - A ÁRVORE DE NATAL E OS PRESENTES
A origem da árvore de Natal vem da antiga Babilônia... Vem de Ninrode, neto de Cão, filho de Noé. Ninrode se afastou de Deus e enveredou-se pelo caminho da apostasia. Segundo se sabe, Ninrode era tão perverso que se teria se casado com a própria mãe, cujo nome era Semíramis! Após a sua morte, sua mãe-esposa propagou a doutrina maligna da sobrevivência de Ninrode como um ente espiritual. Ela alegava que um grande pinheiro havia crescido da noite para o dia, de um pedaço de árvore morta, que simbolizava o desabrochar da morte de Ninrode para uma nova vida. E, todo ano, no dia de seu aniversário de nascimento ela alegava que Ninrode visitava a árvore “sempre viva” e deixava presentes nela. Entre os druidas, o carvalho era sagrado, entre os egípicios as palmeiras, em Roma era o Abeto, que era decorado com cerejas negras durante a Saturnália (Walsh Curiosities of popular customs, pág. 242). O deus escandinavo Odin era crido como um que dava presentes especiais na época de Natal a quem se aproximava do seu Abeto Sagrado. Esta é a verdadeira origem da “Árvore de Natal” e da prática de se dar “presentes”!

 

(Jeremias 10:2-4) 2 Assim disse Jeová: “Não aprendais absolutamente o caminho das nações e não fiqueis aterrorizados mesmo diante dos sinais dos céus, porque as nações ficam aterrorizadas com eles. 3 Pois os costumes dos povos são apenas uma exalação, porque foi somente uma árvore da floresta que se cortou, trabalho das mãos do artífice com o podão. 4 Embelezam-no com prata e com ouro. Firmam-nos com pregos e com martelos, para que nenhum vacile.

 

V - O “PAPAI” NOEL E A PRÁTICA DE SE DAR PRESENTES ÀS ESCONDIDAS

O Papai Noel vive no Pólo Norte, certo? Isso faz dele um esquimó? E, se os esquimós se vestem com peles de animais, como é que o bom velhinho descolou aquela roupa vermelha? Se esses esquimós têm olhos puxados e cabelos escuros, por que ele é nórdico e tem bochechas rosadas? Ainda, como é que ele consegue fabricar aquele Playstation 2 que você pediu de Natal numa região desabitada, onde sequer o Correio alcança? E aquele monte de duendes? Aliás, por que é que o Papai Noel iria empregar duendes? Eu sei, você nunca parou para pensar nisso... Então, está na hora de saber algumas verdades.

O bom velhinho, como conhecemos hoje, rechonchudo e com um sorriso amável, de casaco e gorro vermelhos e um largo cinto preto, é, na verdade, uma criação da Coca-Cola. Pronto, falei. Pura publicidade. Genial, mas publicidade.

 

E tem mais: a lenda não surgiu em nenhum país nórdico. O Papai Noel – atenção! – é, originalmente, turco – ou grego - , pois o mito surgiu a partir de um bispo que vivia lá na Ásia Menor, por volta do século IV: Nicolau, conhecido por sua extrema bondade e pelo carinho que dedicava às crianças. Em sua homenagem, criou-se o hábito de distribuir presentes à criançada durante o mês de dezembro, o mês de seu aniversário.

A lenda de São Nicolau, como ficou conhecido, espalhou-se por toda a Europa. Diversas igrejas foram construídas em sua homenagem. Com a Reforma Protestante, entretanto, o culto perdeu força no continente, com exceção da Holanda, onde permaneceu com o nome de Sinterklass, ou o homem que gostava de crianças. No século XVII, a lenda chegou a Nova Amsterdã (ou New York) com os holandeses e São Nicolau foi rebatizado como Santa Claus.

 

Mas voltemos à Coca-Cola. Até 1930, representava-se o Papai Noel de diversas formas: como um duende de barba branca, um elfo ou um gnomo que se vestia ora de azul, ora de amarelo. Não havia qualquer semelhança com o nosso bom velhinho. Ah! E também não havia renas, trenó e ele sequer conhecia o Pólo Norte.

Em 1931, porém, numa grande jogada de marketing, na tentativa de conquistar um público mais jovem, a Coca-Cola contrata Haddon Sundblon para recriar o Papai Noel, dando-lhe uma feição mais humana. Inspirado em seu amigo Lou Prentice, Sundblon cria, então, o nosso Papai Noel: o Papai Noel da Coca-Cola. Agora, temos um velhinho gorducho, nórdico, com um sorriso amigável, e o mais importante: vestido com as cores da Coca. Aaaaahh, agora fez sentido, não é?

 

Tem mais. Quando Lou Pretice morreu, deixou Sundblon sem um modelo para seu garoto-propaganda. Foi aí que o sueco Haddon começou a se inspirar em si mesmo para representar o Papai Noel, ansiosamente aguardado a cada Natal. A série de pinturas a óleo criada por ele foi utilizada nos comerciais natalinos da Coca–Cola até 1966, dez anos antes de sua morte. Atualmente, a Coca relançou as pinturas de Sundblon em seus rótulos e latinhas.

E a história do Pólo Norte? Bem, o Papai Noel tinha que morar em algum lugar, não é mesmo? Foi o cartunista americano Thomas Nast quem teve a idéia. Inclusive, a história só colou com a criançada depois que eles foram convencidos de que, de fato, o bom velhinho precisava de um lugar calmo, isolado, para poder fazer os presentes. O trenó e as renas são, provavelmente, contribuição escandinava. O cachimbo e a chaminé, idéias holandesas. Agora, o que ninguém consegue explicar é de onde vieram os duendes que ajudam o Papai Noel...

Talvez essa história tenha acabado com a magia do seu Natal. Não era a intenção... Mas pense bem, podia ser pior: não fosse a Coca, nosso Papai Noel poderia ser um Tele Tubby!! Ou o Ronald Mc Donald, o Bozo... Pense nisso quando se deparar com um daqueles belíssimos caminhões iluminados da Coca-Cola no final do ano!

.

 

 

VI - A COROA DE AZEVINHO OU GUIRLANDA
Às vezes conhecida por “coroa de Natal” ou “Guirlanda” são memoriais de consagração. Em grego é “stephano”, em latim “corona” - podem ser entendidas como:- enfeites, oferendas, ofertas para funerais, celebração memorial aos deuses, celebração memorial à vitalidade do mundo vegetal, celebração das vítimas que eram sacrificadas aos deuses pagãos, celebração nos esportes. Significam um “Adorno de Chamamento” e, conseqüentemente, são porta de entrada de deuses. Razão pela qual, em geral, se colocam as guirlandas nas portas, como sinal de boas vindas! A maior parte dos deuses pagãos do Egito aparecem sempre com a “guirlanda” na cabeça! A Bíblia não faz qualquer menção de uso de “guirlanda” no nascimento de Jesus. Só existe uma guirlanda na Bíblia, e esta foi feita por Roma para colocar na cabeça de Jesus no dia da sua morte. Esta guirlanda de espinhos é símbolo de escárnio!

 

VII - VELAS OU LUZES
O Uso de velas é um ritual pagão dedicado aos deuses ancestrais. A vela acendida está fazendo renascer o ritual dos solstícios, mantendo vivo o deus sol. Não tem nenhuma relação com o candelabro judaico (ou Menorah). Mais recentemente, em lugar das velas passou-se a adotar velas elétricas, velas à pilha, e, finalmente, as luzes - o sentido é o mesmo!

VIII – PRESÉPIO
O presépio é um altar a Baal, consagrado desde a antiga babilônia. É um estímulo à idolatria! 
Os adereços encontrados no chamado presépio são simbologias utilizadas na festa do deus sol. O Presépio estimula a veneração das imagens e alimenta a idolatria… Em Êxodo 20:1-6, lemos:- “Então falou Deus todas estas palavras, dizendo: Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam e uso de misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos.”; em I Cor 10:14-15 está escrito: Portanto, meus amados, fugi da idolatria. Falo como a entendidos; julgai vós mesmos o que digo.”. No Brasil a abertura da comemoração do Natal é feita com uma famosa “Missa do Galo”, a qual é celebrada sempre diante de um presépio, um "altar consagrado", cujas figuras estão relacionadas com a Babilônia, e não com a realidade do Evangelho.

 

 

 

BEM VAMOS VER AGORA UMA COISA QUE E MUITO IMPORTANTE: COMO VOCE ACHA QUE JESUS VE O NATAL?

 

PENSE BEM SE UMA CELEBRAÇAO FOSSE REALIZADA EM SUA HONRA, NÃO SERIA IMPORTANTE OBTER SUA APROVAÇAO DA NATUREZA DELA ? ASSIM FAZERMOS BEM A PERGUNTA. SERA QUE A BIBLIA INDICA COMO JESUS VE AS TRADIÇOES ARRAIGADAS NO PAGANISMO?

 

JESUS CONDENOU OS LIDERES RELIGIOSOS DAQUELA EPOCA QUE TRANSIGIA SOBRE A ADORAÇAO PURA PARA GANHAR ADEPTOS, VEJA QUE ELE DISSE.

 

(Mateus 23:15) 15 “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque percorreis o mar e a terra seca para fazer um prosélito, (CONVERSO , ALGUEM QUE SE CONVERTEU) e, quando se torna tal, fazeis dele objeto para a Geena ( DESTRUIÇAO)duas vezes mais do que vós mesmos.

 

A CONVERSAO NÃO DEVIA SER CONSEGUIDA PELA FUSAO DAS CRENÇAS PAGÃS COM AS CRISTANS, PAULO O APOSTOLO, ESCREVEU:

 

(2 Coríntios 6:14-18) 14 Não vos ponhais em jugo desigual com incrédulos. Pois, que associação tem a justiça com o que é contra a lei? Ou que parceria tem a luz com a escuridão? 15 Além disso, que harmonia há entre Cristo e Belial? Ou que quinhão tem o fiel com o incrédulo? 16 E que acordo tem o templo de Deus com os ídolos? Pois nós somos templo dum Deus vivente; assim como Deus disse: “Residirei entre eles e andarei entre [eles], e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.” 17 “‘Portanto, saí do meio deles e separai-vos’, diz Jeová, ‘e cessai de tocar em coisa impura’”; “‘e eu vos acolherei’”. 18 “‘E eu serei pai para vós e vós sereis filhos e filhas para mim’, diz Jeová, o Todo-poderoso.”

 

PENSE BEM SE CERTA MAE CONCIENTE VISSE O FILHO PEGAR BALAS DE UM ESGOTO CHEIO DE SUJEIRA, ELA INSISTIRIA QUE ELE JOGASSE FORA IMEDIATAMENTE. A IDEIA DE COMELAS, ATE MESMO DE TOCALAS, A REPUGNA, OS SENTIMENTOS DE JESUS SÃO IGUAIS AOS DO PROFETA ISAIAS QUE DISSE.

 

(Isaías 52:11) 11 Desviai-vos, desviai-vos, saí de lá, não toqueis em nada impuro; saí do meio dela, mantende-vos puros. . .