O Pai-Nosso — seu significado para você

O Pai-Nosso — seu significado para você
A ORAÇÃO do Pai-Nosso, proferida por Jesus Cristo no Sermão do Monte, está na Bíblia em Mateus, capítulo 6, versículos 9 a 13. Pouco antes de ensinar essa oração, Jesus disse: “Ao orares, não digas as mesmas coisas vez após vez, assim como fazem os das nações, pois imaginam que serão ouvidos por usarem de muitas palavras.” — Mateus 6:7.
Portanto, é evidente que Jesus não pretendia que a oração do Pai-Nosso fosse repetida palavra por palavra. Além disso, outras orações que Jesus e os seus discípulos fizeram posteriormente não seguiram rigidamente as palavras da oração-modelo.
Por que o Pai-Nosso foi registrado na Bíblia? Por meio desse modelo, Jesus nos ensinou como nossas orações podem tornar-se aceitáveis para Deus. Nessa oração, encontramos também respostas a algumas das perguntas básicas sobre a vida. Portanto, consideremos cada parte do Pai-Nosso.
Qual é o nome de Deus?
“Nosso Pai nos céus.” (Mateus 6:9) Essas palavras iniciais da oração-modelo nos ajudam a nos achegar a Deus por nos dirigirmos a ele como “nosso Pai”. Assim como uma criança, que por natureza se sente atraída a seu pai amoroso e compreensivo, podemos achegar-nos ao nosso Pai celestial, confiantes de que ele quer nos ouvir. “Ó Ouvinte de oração”, cantou o Rei Davi, “sim, a ti chegarão pessoas de toda carne”. — Salmo 65:2.

santificado seja o teu nome Jesus nos ensinou a orar a Deus pedindo que santifique, ou torne santo, o Seu nome. Mas qual é o nome de Deus? A Bíblia responde com as seguintes palavras: “Tu, cujo nome é Jeová, somente tu és o Altíssimo sobre toda a terra.” (Salmo 83:18) Já leu alguma vez o nome Jeová na sua Bíblia?
Realmente, o nome de Deus, Jeová, ocorre quase 7.000 vezes nos antigos manuscritos bíblicos. No entanto, alguns tradutores foram a ponto de remover esse nome das suas versões da Bíblia. Portanto, é correto orarmos que o Criador santifique o seu nome, ou o torne santo. (Ezequiel 36:23) Um modo de agir em harmonia com essa oração é usarmos o nome Jeová quando oramos a Deus.

“Venha o teu reino. Realize- A tua vontade, como no céu, assim também naterra.” (Mateus 6:9, 10) Como se cumprirá essa parte da oração-modelo de Jesus? A maioria das pessoas imagina que o céu seja um lugar de paz e de tranqüilidade. As Escrituras referem-se ao céu como “morada excelsa de santidade e beleza” de Jeová. (Isaías 63:15) Não é de admirar que oremos que a vontade de Deus seja realizada na Terra assim “como no céu”! Mas será que isso acontecerá algum dia?
Daniel, profeta de Jeová, predisse: “O Deus do céu estabelecerá um reino que jamais será arruinado. E o próprio reino não passará a qualquer outro povo. Esmiuçará e porá termo a todos estes reinos [terrestres], e ele mesmo ficará estabelecido por tempos indefinidos.” (Daniel 2:44) Esse reino, ou governo, celestial agirá dentro em breve para trazer paz global por meio de um governo justo. — 2 Pedro 3:13.
Orar pela vinda do Reino de Deus e para que a Sua vontade seja feita na Terra é uma manifestação de fé, que não trará desapontamento. João, o apóstolo cristão, escreveu: “Ouvi uma voz alta do trono dizer: ‘Eis que a tenda de Deus está com a humanidade, e ele residirá com eles e eles serão os seus povos. E o próprio Deus estará com eles. E enxugará dos seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem clamor, nem dor. As coisas anteriores já passaram.’ ” Depois João acrescentou: “Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.” — Revelação (Apocalipse) 21:3-5.

“Dá-nos hoje o nosso pão para este dia.” 
Na oração-modelo, Jesus mostrou que a nossa preocupação primária deve estar relacionada com o nome e a vontade de Deus. No entanto, a oração-modelo prossegue com pedidos pessoais, feitos corretamente a Jeová.
O primeiro deles é: “Dá-nos hoje o nosso pão para este dia.” (Mateus 6:11) Isso não é um pedido de riqueza material. Jesus incentivou-nos a orar pelo “nosso pão para o dia, segundo as exigências do dia”. (Lucas 11:3) Em harmonia com o Pai-Nosso, podemos orar com fé que Deus providencie as nossas necessidades diárias, se o amarmos e lhe obedecermos.
Ficarmos indevidamente ansiosos por causa de problemas econômicos poderia fazer-nos descuidar da nossa necessidade espiritual e assim não fazermos o que Deus espera de nós. Mas, se na vida dermos prioridade à adoração a Deus, poderemos ter certeza de que nossos pedidos para as necessidades materiais, tais como alimento e roupa, serão ouvidos favoravelmente. Jesus disse: “Persisti . . . em buscar primeiro o reino [de Deus] e a Sua justiça, e todas estas outras coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6:26-33) Buscar a justiça de Deus é um desafio, visto que todos nós somos pecaminosos e precisamos de perdão. (Romanos 5:12) O Pai-Nosso também trata desse assunto.

“Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores.” (Mateus 6:12) No registro que Lucas fez do Pai-Nosso, essas “dívidas” se referem aos “pecados”. (Lucas 11:4) Será que Jeová realmente perdoará os nossos pecados?
Embora o Rei Davi, do Israel antigo, tivesse cometido sérios pecados, ele estava arrependido e orou com confiança: “Tu, ó Jeová, és bom e estás pronto a perdoar; e é abundante a benevolência para com todos os que te invocam.” (Salmo 86:5) Que idéia consoladora! Nosso Pai celestial está “pronto a perdoar” os pecados dos que o invocam arrependidos. Com a mesma certeza de que uma dívida pode ser totalmente cancelada, da mesma forma Jeová Deus pode perdoar completamente os nossos pecados.
No entanto, Jesus mencionou uma condição: para sermos perdoados por Deus temos de perdoar os outros. (Mateus 6:14, 15) Embora o justo Jó tenha sido maltratado por três amigos, ele os perdoou e até orou por eles. (Jó 42:10) Se perdoarmos os que pecam contra nós, agradaremos a Deus e estaremos na condição de ser beneficiados pela misericórdia dele.
A disposição de Deus de ouvir as nossas petições deve induzir-nos a procurar a sua aprovação. E podemos fazer isso, embora sejamos imperfeitos. (Mateus 26:41) Também nesse ponto Jeová pode ajudar-nos, conforme Jesus mostrou no importante pedido que conclui a oração-modelo.

“Não nos leves à tentação, mas livra-nos do iníquo.” (Mateus 6:13) Jeová não nos abandona numa tentação, nem nos faz cair no pecado. Sua Palavra declara: “Por coisas más, Deus não pode ser provado, nem prova ele a alguém.” (Tiago 1:13) Deus permite que sejamos tentados, mas ele pode livrar-nos do Grande Tentador — o “iníquo”, conhecido como Satanás, o Diabo.
O apóstolo Pedro aconselhou os seus irmãos: “Mantende os vossos sentidos, sede vigilantes. Vosso adversário, o Diabo, anda em volta como leão que ruge, procurando a quem devorar.” (1 Pedro 5:8) De fato, Satanás tentou até mesmo o homem perfeito Jesus Cristo! Qual era o objetivo do Diabo? Desviar Jesus da adoração pura de Jeová Deus. (Mateus 4:1-11) Se você está procurando servir a Deus, o objetivo de Satanás é devorá-lo também!
Por meio do mundo que está sob o seu controle, o Diabo pode nos tentar a praticar coisas que Deus desaprova. (1 João 5:19) Por isso é vital que recorramos regularmente a Deus em busca de ajuda, especialmente quando nos confrontamos com uma tentação persistente. E se adorarmos a Jeová segundo a sua Palavra inspirada, a Bíblia, ele nos libertará por ajudar-nos a resistir ao Diabo. “Deus é fiel”, nos diz a Bíblia, “e ele não deixará que sejais tentados além daquilo que podeis agüentar”. — 1 Coríntios 10:13.
É essencial termos fé em Deus
Como é animador saber que o nosso Pai celestial está interessado em cada um de nós! Até mesmo providenciou que seu Filho, Jesus Cristo, nos ensinasse a orar. Isso certamente nos motiva a querer agradar a Jeová Deus. Como podemos fazer isso?
A Bíblia declara: “Sem fé é impossível agradar-lhe bem, pois aquele que se aproxima de Deus tem de crer que ele existe e que se torna o recompensador dos que seriamente o buscam.” (Hebreus 11:6) Como se consegue ter essa fé? “A fé segue à coisa ouvida”, diz a Bíblia. (Romanos 10:17) 
Esperamos que esta consideração da oração do Pai-Nosso tenha aprofundado seu apreço pelo significado dela. Obter mais conhecimento sobre Jeová e sobre as recompensas que ele promete aos “que seriamente o buscam” fortalecerá a sua fé em Deus. Aprenda mais sobre ele e os seus propósitos para que você possa ter para sempre um relacionamento achegado com o seu Pai celestial. — João 17:3.

 
Foto de Pense Comigo.