Paixonites — Por Que Podem Ser Prejudiciais

libertar-me duma paixonite?

Como

 

“Para a maioria dos jovens”, escreveu uma revista voltada para a juventude, “as paixonites são tão comuns quanto os resfriados”. Quase todos os jovens passam por isso, e quase todos conseguem superá-lo ao se tornarem adultos, mantendo intactos seu orgulho e seu senso de humor. No entanto, quando se está enredado numa paixonite, parece haver pouco motivo de riso. “Eu me sentia frustrado”, relembra um jovem, “por não poder fazer nada a respeito. Sabia que ela era velha demais para mim, mas eu gostava dela. Eu realmente estava desequilibrado com tudo aquilo.”

Anatomia

da Paixonite

 

Não é pecado nutrir fortes sentimentos por alguém — uma vez que tais sentimentos não sejam imorais, nem impróprios (tais como por alguém casado). (Provérbios 5:15-18) Quando se é jovem, porém, “os desejos pertinentes à mocidade” amiúde governam seus pensamentos e suas ações. (2 Timóteo 2:22) O jovem, que ainda está aprendendo a controlar os novos e fortes desejos liberados pela puberdade, pode ficar repleto de agitados sentimentos românticos — sem ter ninguém para ser alvo deles.

Ademais, “as moças conseguem ficar equilibradas e socialmente à vontade mais cedo do que os rapazes”. Em resultado disso, “elas muitas vezes acham seus colegas de turma imaturos e nada excitantes, em comparação com os professores” ou com outros homens mais velhos, inatingíveis. (Revista Seventeen) Uma jovem poderá assim imaginar que um professor favorito, um cantor favorito de música pop, ou algum conhecido mais velho, é o homem “ideal”. Os rapazes muitas vezes demonstram similar fascínio. No entanto, o amor que sentem por tais figuras distantes acha-se, obviamente, mais arraigado na fantasia do que na realidade.

Paixonites

 Por Que Podem Ser Prejudiciais

 

Ao passo que a maioria das paixonites têm vida curta, ainda assim elas podem causar muitos danos a um jovem. Por um lado, muitos objetos da afeição dos adolescentes simplesmente não merecem estima. Disse um homem sábio: “A estultícia tem sido posta em muitas posições elevadas.” (Eclesiastes 10:6) Assim, um cantor (ou cantora) é idolatrado por ter voz suave ou belíssima aparência. Mas será que a moral dele é digna de elogios? Está ele (ou ela) “no Senhor”, sendo um cristão dedicado? — 1 Coríntios 7:39.

A Bíblia também avisa: “A amizade com o mundo é inimizade com Deus.” (Tiago 4:4) Se fixasse o coração numa pessoa cuja conduta Deus condena, não poria isso em perigo a sua amizade com Deus? Além disso, a Bíblia ordena: “Guardai-vos dos ídolos.” (1 João 5:21) Que nome daria quando um jovem decora seu quarto, de uma parede a outra, com fotos dum astro ou estrela da música? Não seria apropriada a palavra “idolatria”? Como poderia isto agradar a Deus?

Alguns jovens até mesmo permitem que suas fantasias sobrepujem a razão. Diz uma jovem: “Sempre que lhe pergunto o que sente a meu respeito — ele sempre nega alimentar quaisquer sentimentos amorosos para comigo. Mas percebo, pelo modo como me olha e age, que isso não é verdade.” O rapaz em pauta tem tentado ser bondoso em demonstrar seu desinteresse, mas ela simplesmente não aceita um não como resposta.

Escreve outra jovem sobre o fascínio que sente por um cantor popular: ‘Quero que ele se torne meu namorado, e tenho orado para que isso se realize! Costumava dormir grudada em seu álbum, porque isso era o mais perto que eu conseguia chegar dele. Cheguei a um ponto em que, se não puder tê-lo, vou me matar.’ Poderia tal paixão irracional agradar a Deus, que nos ordena servi-lo com “bom juízo”? — Romanos 12:3.

Afirma a Bíblia, em Provérbios 13:12: “A expectativa adiada faz adoecer o coração.” Cultivar expectativas românticas quanto a um relacionamento impossível é, portanto, o amor não salutar, não-correspondido, citado pelos médicos como uma das causas de “depressão, de ansiedade e de angústia geral . . . de insônia ou de letargia, de dores no peito ou de falta de fôlego”. (Compare com 2 Samuel 13:1, 2.) Uma jovem apaixonada confessa: “Não consigo comer. . . . Não consigo mais estudar. Eu . . . sonho acordada com ele. . . . Estou em situação lamentável.”

Pense nos estragos causados quando permite que uma fantasia domine sua vida. O Dr. Lawrence Bauman observa que uma das primeiras evidências de uma paixonite aguda é um “relaxamento dos empenhos escolares”. Isolar-se dos amigos e da família é outro resultado comum. Pode, também, haver uma humilhação. “Sinto-me encabulado de admitir isto”, diz o escritor Gil Schwartz, “mas eu me comportei como um bobalhão quando tinha uma paixonite por Judy”. Muito tempo depois da paixonite ter acabado, podem perdurar as recordações de estar seguindo alguém por toda a parte, de fazer uma cena em público, ou, em geral, de bancar o tolo.

Enfrente

a Realidade

 

O Rei Salomão, um dos homens mais sábios que já viveram, sentiu-se perdidamente apaixonado por uma jovem que não lhe correspondia. Ele fez para ela alguns dos poemas mais lindos que já foram escritos, dizendo-lhe que ela era “bela como a lua cheia, pura como o sol brilhante” — mas não conseguiu dela absolutamente nada! — O Cântico de Salomão 6:10.

Todavia, Salomão por fim desistiu de suas tentativas de conquistá-la. Como poderá você, também, recuperar o domínio sobre seus sentimentos? “Quem confia no seu próprio coração é estúpido”, diz a Bíblia. (Provérbios 28:26) Isto se dá especialmente quando fica enredado numa fantasia romântica. No entanto, “aquele que anda em sabedoria é o que escapará”. Isto significa ver as coisas do jeito como elas realmente são.

“Como se pode diferençar a esperança legítima da esperança infundada?”, pergunta o Dr. Howard Halpern. “Pelo exame cuidadoso e frio dos fatos.” Considere só: Qual a probabilidade de ter um romance real com tal pessoa? Se tal pessoa for uma celebridade, as probabilidades são de que jamais venha a conhecê-la em pessoa! As probabilidades também são mínimas quando está envolvida uma pessoa mais velha, tal como um professor.

Ademais, será que a pessoa de quem você gosta já demonstrou qualquer interesse por você? Se não, existe algum motivo real de você crer que as coisas mudarão no futuro? Ou está você simplesmente supondo que existe qualquer interesse romântico em palavras e gestos inocentes da parte dele ou dela? Incidentalmente, na maioria dos países, é costumeiro que o homem tome a iniciativa de começar um romance. Uma jovem pode ficar em situação humilhante por ousadamente andar atrás de alguém que simplesmente não está interessado nela.

Além disso, que faria se aquela pessoa realmente retribuísse sua afeição? Está pronto para enfrentar as responsabilidades do casamento? Se não, então ‘remova do seu coração o vexame’, por recusar-se a fixar a mente na fantasia. Existe um “tempo para amar”, e, em seu caso, este poderá vir anos à frente, quando você tiver mais idade. — Eclesiastes 3:8; 11:10.

Analise

Seus Sentimentos

 

O Dr. Charles Zastrow observa: “O fascínio ocorre quando alguém idealiza a pessoa por quem ela ou ele está apaixonado como sendo o ‘amor ideal’; isto é, ela conclui que a outra pessoa possui todas as características desejadas num cônjuge.” No entanto, não existe tal “amor ideal”. “Pois todos pecaram e não atingem a glória de Deus”, afirma a Bíblia. — Romanos 3:23.

Assim, pergunte a si mesmo: Quão bem conheço realmente tal pessoa em quem fixei meu coração? Estou amando uma imagem que criei? Não estou querendo enxergar as falhas de tal pessoa? Um exame objetivo do amor de seus sonhos talvez baste para despertá-lo de seu estupor romântico! É também de ajuda analisar a espécie de amor que sente por tal pessoa. A escritora Kathy McCoy diz: “O amor imaturo pode surgir e desaparecer num instante . . . O foco está em você mesma, e você está simplesmente apaixonada pela idéia de estar amando . . . O amor imaturo é apegado, possessivo, e ciumento. . . . O amor imaturo exige a perfeição.” — Contraste com 1 Coríntios 13:4, 5.

Tire-o(a)

da Mente

 

Admitidamente, nem todo o raciocínio no mundo basta para eliminar totalmente seus sentimentos. Mas você pode deixar de alimentar o problema. Ler sensuais romances de amor, ver histórias de amor na TV, ou simplesmente ouvir certos tipos de música, pode agravar seus sentimentos de solidão. Assim, recuse-se a ficar pensando na sua situação. “Onde não há lenha, apaga-se o fogo.” — Provérbios 26:20.

Um romance fantasioso não serve qual substituto para pessoas que realmente amam você e se importam com você. Não ‘se isole’. (Provérbios 18:1) Provavelmente verificará que seus pais podem ser de grande ajuda. Pois, apesar de todas as tentativas de esconder seus sentimentos, provavelmente eles já discerniram que existe algo que o está roendo por dentro. Por que não se chega a eles e ‘lhes dá seu coração’? (Compare com Provérbios 23:26.) Um cristão maduro talvez também prove ser um bom ouvinte.

“Mantenha-se ocupado”, exorta Esther Davidowitz, que escreve sobre temas de adolescentes. Arranje um passatempo, faça algum exercício, estude outro idioma, inicie um projeto de pesquisas bíblicas. Ficar bem envolvido em atividades úteis pode amainar bastante os sintomas do fim duma paixonite.

Libertar-se duma paixonite não é fácil. Mas, com o passar do tempo, a dor diminuirá. Você terá aprendido muito sobre si mesmo e seus sentimentos, e estará melhor preparado para lidar com o amor verdadeiro, se este acontecer no futuro! Contudo, como é que poderá reconhecer o ‘amor verdadeiro’?